Colunistas

Dia 15 de Outubro – É o Dia Mundial de Lavagem das Mãos
Um recado para os “Chefs de Cozinha” do Mundo!
Você sabe por que é tão importante “Lavar as Mãos” ao manipular os alimentos?

Siga-nos

Segurança dos Alimentos

na Área Hospitalar

Segurança do Paciente envolve ações promovidas pelas instituições de saúde para reduzir a um mínimo aceitável, o risco de dano desnecessário associado ao cuidado de saúde. A Organização Mundial de Saúde (OMS) prioriza dois desafios globais na área de Segurança do Paciente: reduzir a infecção associada ao cuidado em saúde, por meio de campanha de higienização das mãos e, promover a cirurgia mais segura. Além de demais metas internacionais para que o paciente não sofra algum tipo de dano que poderia ser evitado através de estratégias de prevenção para Segurança do Paciente. No Brasil, as metas para Segurança do Paciente baseadas nas metas internacionais da OMS, são coordenadas pelo Programa Nacional de Segurança do Paciente do Ministério da Saúde.
Fonte: Proqualis

A Segurança na Alimentação Hospitalar, consiste na administração de alimentos para fins especiais através da ingestão controlada de nutrientes, de forma isolada ou combinada, com composição química definida ou estimada, e especialmente as fórmulas que são elaboradas para uso por sondas ou via oral sempre visando à síntese ou manutenção dos tecidos, órgãos ou sistemas.
Diante desta riqueza em macro e micronutrientes que apresentam as dietas hospitalares, os micro-organismos presentes, muitas vezes, agem como causadores potenciais de processos patológicos infecciosos. A principal complicação infecciosa é a gastroenterocolite, decorrente da contaminação durante o preparo e administração das dietas.
Dietas hospitalares carregadas de micro-organismos dentro ou fora da cozinha podem constituir em fonte de infecção sistêmica para pacientes imunodeprimidos, crianças, idosos e desnutridos.

A cozinha do novo complexo hospitalar do HMC  servem até 4.000 refeições por dia. Todas as fotos: Bather Amen / The Peninsula

Impacto Econômico

As infecções relacionadas à assistência à saúde afetam centenas de milhões de pacientes e têm um impacto econômico significativo nos pacientes e sistemas de saúde em todo o mundo. Nos países desenvolvidos, representam de 5% a 10% das internações em hospitais de cuidados agudos. Nos países em desenvolvimento, o risco é de duas a 20 vezes superior e a proporção de pacientes com esse tipo de infecção pode exceder 25%.

Além de causar sofrimento para os pacientes e seus familiares, as infecções relacionadas à assistência à saúde consomem recursos que poderiam ser gastos em medidas preventivas ou em outras prioridades.
Fonte: OMS

Panorama do Controle de Qualidade e Monitoramento dos Alimentos na Área hospitalar

Para a OMS, ” Segurança do Paciente” compreende a “redução dos atos inseguros nos processos assistenciais e uso das melhores práticas descritas de forma a alcançar os melhores resultados possíveis para o paciente” (OMS, 2010).

Image
Marcia Meyer